pseudojornalismo

Quem Tem Medo de Bicho-papão?

Quando criança meus sonhos eram sobre aquela professora que costumava pegar no meu pé, ou sobre filmes de ação ou terror que costumava adorar, ou ainda sobre aquela menina que estava apaixonado, aquela primeira paixão de criança que todo mundo um dia teve.  O medo era assunto recorrente nesses primeiros sonhos, seja pelo Jason que eu temia encontrar pela frente, ou em receber um não daquela menina tão doce. Segundo Hitchcock, a primeira pessoa responsável por instituir o medo no nosso inconsciente é a nossa mãe. Normalmente é ela que nos assusta, quando olha pro bebê, e solta um ligeiro “Bú”, com a intenção de brincar com a gente, mas que acaba surtindo um efeito oposto.  Há também aquelas histórias sobre bicho-papões ou as cantigas sobre “o boi da cara preta”. E assim o medo é agora nosso companheiro. Hoje temos nações controladas por esse elemento, sim, estou falando dos Estados Unidos e sua “Guerra ao Terror”, sua batalha contra o inimigo invisível, algo antigamente só visto em revistas de histórias em quadrinhos.

Não quero tornar esse texto político, só lembrá-los que desde que essa historinha de terroristas começou, uma série de medidas contra a privacidade e a liberdade individual estão sendo tomadas – todas com o consentimento dos americanos, aterrorizados com a idéia paranóica de outros possíveis ataques “terroristas” (uso aspas porque esse termo é empregado para definir um grupo de pessoas invisíveis, sem uma real identidade, algo que os faça serem definidos concretamente) . É essa mania de segurança nacional que fez com que câmeras fossem instaladas em todos os lugares, escutas telefônicas fizessem parte do nosso cotidiano, tecnologias de rastreamento começassem a ser usadas em pessoas. E seja bem vindo ao século 21, ao big brother as avessas porque agora quem estará dando aquela “espiadinha” não será você.

Às vezes penso que quanto mais velhos ficamos, mais confusos e complexos nossos sonhos ficam.  Isso porque os personagens aumentam consideravelmente. Segundo Freud, todas as pessoas que temos contato poderão fazer parte dos nossos sonhos e não há regra alguma ou muito menos lógica pra essas pessoas aparecerem. A menina que você conheceu essa semana concorre de igual pra igual com aquele professor corcunda do primário. Assim como agora também pode existir a figura do terrorista ou algum outro sujeito barbudo milionário que vive em cavernas, mas que nunca foi encontrado.  Viu mãe, os bicho-papões continuam por aí.

We are turning into a nation of whimpering slaves to Fear—fear of war, fear of poverty, fear of random terrorism, fear of getting down-sized or fired because of the plunging economy, fear of getting evicted for bad debts or suddenly getting locked up in a military detention camp on vague charges of being a terrorist sympathizer.

— Hunter S. Thompson

Anúncios

5 comentários sobre “Quem Tem Medo de Bicho-papão?

  1. Medo é instinto de sobrevivência, nós precisamos dele para viver no mundo. Talvez você estivesse se referindo mais especificamente a fobias, que sao de natureza irracional e exageradas. Ou mesmo paranóia, mas nao sou nenhum clínico no assunto, hehehe.

  2. o problema não é o medo que precisamos ter ao atravessar a rua, mas aquele imaginário, de conspirações ou mesmo aquele que se transforma em paranóia, como vc mesmo disse.

  3. Lembrando apenas que o “Big Brother” mencionado no teu texto não é as avessas. A versão subvertida desse Big Borther é a apresentada no reality show. No livro de Orwell, é o estado que vigia o cidadão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s