pseudojornalismo

Viagem ao Centro da Terra e de Nós Mesmos

16 de Julho de 1969: três astronautas passam oito dias em uma viagem fora da Terra e apenas 21 horas na Lua – o suficiente para emocionar as centenas de milhões de pessoas que assistiam tudo pela tela da TV.

13 de Outubro de 2010: trinta e três mineiros são resgatados após passarem quase setenta dias presos debaixo da terra, soterrados em uma mina de cobre – o suficiente para emocionar centenas de milhões de pessoas que assistiam tudo pela tela da TV e do computador.

Quem diria que um boliviano e mais 32 chilenos totalmente desconhecidos seriam protagonistas de uma história tão incrível quanto aquela de mais de 40 anos atrás? Desta vez o feito não precisou de quase 10 anos de planejamento e ao invés de sairmos da Terra, foi necessário justamente o oposto.

Eram os primeiros minutos do dia e todos os canais (com exceção da Rede Globo, sabe lá Deus por que) interrompiam suas transmissões para divulgarem as primeiras imagens do histórico resgate. Os instantes que antecederam o retorno da cápsula “Fênix” foram um misto de nervosismo e silêncio que logo foram trocados por aplausos e euforia, assim que o primeiro mineiro era retirado da cápsula.

O encontro com o filho pequeno que aos prantos, não via à hora de reencontrar o pai, o abraço na esposa, o discurso e os sorrisos do novo presidente chileno – todas aquelas cenas acompanhadas nas mais diversas línguas fizeram o mundo acreditar novamente no Homem, ou pelo menos deveria.

Longe de querer pregar qualquer papo new age, hippie ou qualquer coisa do tipo, mas sim, ainda acredito que é possível realizarmos grandes coisas quando nos unimos para algum bem comum: seja em uma mina no Atacama, um muro em Berlim ou em uma missão na Lua.

Enquanto continuarmos egoístas e destrutivos, a Terra enquanto metáfora deixará de ser aquele planeta azul lindo e amistoso, se aproximando de um solitário e vazio solo lunar.  É isso que você gostaria?

 

Anúncios

9 comentários sobre “Viagem ao Centro da Terra e de Nós Mesmos

  1. Todos deveriam começar pelo básico, com um posicionamento ético perante todos seres sencientes. Sejamos veganos! Esse é o grande bem comum. Libertação animal já!

  2. igor,
    bacana seu texto,
    vc já assistiu a um filme chamado “a montanha dos sete abutres”, de billy wilder?
    apesar do personagem principal ser bem linear, vale a pena passar numa locadora pra pegar. é o outro lado da moeda.
    abração
    seu primo

    1. ainda não vi esse filme primo, vou tentar baixa-lo aqui (locadora é coisa do passado, rs).

      dei uma pesquisada sobre agora, fiquei interessado,.. com certeza a mídia encara esses acontecimentos como grandes mercadorias, o que não desmerece os verdadeiros heróis da história (que as vezes é inventada, o que é mesmo lastimável).

      abração

  3. Com certeza enquanto todos os canais e o mundo estavam direcionados para o “grande resgate” os americanos estavam fazendo alguma merda por aí… se liguem!!!

  4. “Antes de iniciar o trabalho para mudar o mundo, dê três voltas em sua própria casa”. Nao sei encontrei na net quem escreveu isso, mas achei pertinente.

  5. Para a mídia isso se tratou de um BigBrother que caiu do céu, ou melhor, caiu da terra.
    Vamos aguardar os próximos capítulos dos mineradores tentando a carreira artística, pegando modelos e tudo o mais… Até eles deixarem de ser celebridades…

    Doeu ver todos aqueles “abutres” (usando o termo de um dos comentários) girando em torno daquelas carcaças.

    Pra mim é muito difícil identificar qual daquelas pessoas em toda aquela encenação não estava encenando nem um pouco. Quem será que estava inteiramente lá? Torço pela criança.

  6. demoram 2 meses pra resgatar os caras. Se fosse pra montar um estadio pra copa do mundo na Lua em dois dias, em um dia e meio estaria pronto!

    PARABENS PRA NASA!! PARABENS AOS EUA!!

  7. Não vi o resgate, mas fiquei feliz deles terem saido.
    Me emocionou muito quando a mensagem de que estavam vivos chegou.
    O que seguiu depois não tem tanto valor quanto imaginar o tempo deles presos lá, sobrevivendo com pouca esperança, que incrivel estes humanos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s